Crítica: 10 Horas Para o Natal

Terça-feira, 1 de dezembro de 2020                                                                                                                    Texto: Patrícia Piquiá

 

A primeira comédia natalina brasileira é estrelada pelos atores mirins Giulia Benite (Mônica de ‘Turma da Mônica – Laços’), Pedro Miranda (do ‘The Voice Kids’) e Lorena Queiroz (da novela ‘Carinha de Anjo’).

 

Arquivo de 10 Horas para o Natal | Arroba Nerd

 

Fortemente inspirada no filme estadunidense “Um herói de brinquedo” e um pouco em “Esqueceram de Mim” conta a história dos irmãos Julia, Miguel e Bia que estão cansados de passar o Natal na entediante casa da tia-avó e fariam tudo para ter de volta a alegria da festa que era organizada pelos pais, Marcos Henrique (Luis Lobianco) e Sonia (Karina Ramil), antes de se separarem. Então, eles decidem sair de casa escondidos e ir de ônibus para a movimentada Rua 25 de Março. Para juntar de novo toda a família, eles vão precisar comprar uma árvore, os enfeites, os presentes, o peru e ainda entregar uma carta da irmã mais nova pro Papai Noel. Detalhe: só com R$ 50 no bolso e apenas 10 horas para o Natal!

 

O início foi até interessante e há uma forte tentativa de abrasileirar o que já conhecemos desse tipo de filme tradicionalmente estadunidense e até nos divertimos com as situações cômicas tipicamente brasileiras, como a ida a rua 25 de março cheia no Natal, mas a falta de originalidade no final torna a experiência um pouco repetitiva. Não há quase nada de novo no enredo, parece muito o filme americano no Brasil.

 

Os pontos positivos são a mensagem de união de família, do espírito natalino de fraternidade e o carisma de Giulia Benite, que nos fazem tentar seguir até o final, mas é bem típico como os filmes estadunidenses dessa época. Os amantes dos filme natalinos e seus cliches vão gostar.

 

O filme estreará em 3 de dezembro de 2020 nos cinemas brasileiros .

 

 

Nota: 3,0 / 5,0