Crítica: Entre Facas e Segredos

Quinta-feria, 12 de dezembro de 2019                                                                                                                Texto: Patrícia Piquiá

 

O filme de suspense com um pouco de comédia conta história de Harlan Thrombey (Christopher Plummer) patriarca da família, um bem-sucedido escritor de livros de mistério e suspense e proprietário de uma renomada editora e uma grande fortuna. Na manhã posterior ao dia da celebração do seu aniversário de 80 anos com entes queridos, Harlan é encontrado morto. Apesar de parecer um suicido, a morte é muito inesperada, quando o detetive Benoit Blanc (Daniel Craig) é recrutado para investigar o caso, a família e os empregados de Harlan se tornam os alvos e principais suspeitos de um possível homicídio.

 

Resultado de imagem para entre facas e segredos

 

O longa faz homenagem a Agatha Christie e reinventa os clássicos de investigação e mistério com reviravoltas que saem do obvio dos desfechos mais aclamados nesse estilo que Christie conduziu tão bem.

 

Resultado de imagem para entre facas e segredos

 

Eu gostei muito do filme e recomendo, mas cuidado com os spoilers, o mais legal do filme são as reviravoltas, tudo caminha para uma coisa e muda no meio e de repente no final é outra completamente diferente. As atuações Daniel Craig como o detetive do caso e de Chris Evans como o neto de Harlan e suas interações com a personagem de Ana De Armas, a enfermeira de Thrombey são um achado, mas uma pena não termos o charmoso sotaque britânico de Daniel Craig, mas no mais o filme é maravilhoso.

 

O genial roteiro e direção são do aclamado escritor e diretor Rian Johnson de 'A Ponta de um Crime', 'Looper: Assassinos do Futuro' e 'Star Wars: Os Últimos Jedi'.

 

 

O filme estreia dia 12 de dezembro no Brasil.

counter free